• INÍCIO
  • CONTATO
  • MÍDIA KIT
  • ANUNCIE NO BLOG
  • COMENTÁRIOS
  • MAPA DO BLOG
  • sexta-feira, 30 de setembro de 2016

    #Exposição sobre Israel Pinheiro será inaugurada na segunda-feira (3) - (o homem que dirigiu a construção de Brasília.)

    O Arquivo Público do Distrito Federal inaugura na segunda-feira (3) a exposição itinerante Israel Pinheiro – o homem que dirigiu a construção de Brasília. Foto: Gabriel Jabur/Agência Brasília

    Imagens do primeiro presidente da Novacap ficarão expostas na sede do órgão até 14 de outubro. Organizada pelo Arquivo Público do DF, mostra faz parte das comemorações dos 60 anos da companhia

    Para celebrar os 60 anos da Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), o Arquivo Público do Distrito Federal inaugura na segunda-feira (3) a exposição itinerante Israel Pinheiro – o homem que dirigiu a construção de Brasília. A mostra sobre o primeiro presidente da companhia ficará até 14 de outubro no hall da sede na Novacap, criada em 1956 para a construção da cidade. Em seguida, ela percorrerá outros pontos do Distrito Federal.

    São dez painéis de 1,25 metro de altura e 2,34 metros de largura que contam a trajetória do pioneiro diligente que, à frente da Novacap, comandou milhares de operários durante a construção de Brasília. Com curadoria e pesquisa do historiador Elias Manoel da Silva, do Arquivo Público, a exposição tem 30 fotos históricas.

    “Sendo o Arquivo Público uma instituição de guarda da memória histórica de Brasília, é importante lembrar os 60 anos da Novacap com uma exposição que falasse da importância desse grande pioneiro da cidade”, comenta o superintendente do Arquivo Público, Nickerson de Almeida.
    Amigo fiel de JK - Mineiro de Caeté, Israel Pinheiro nasceu em 1896. Formado em engenharia, entrou para política nos anos 1920. Foi no Congresso Nacional que estreitou as relações com Juscelino Kubitschek. Ele abraçou a ideia de transferir a capital do Rio de Janeiro para o centro do País. Para assumir a presidência da Novacap, renunciou ao mandato de deputado federal na década de 1950. Nos primeiros anos de Brasília, foi o braço direito de JK no surgimento de uma cidade que nasceu do nada. Durante as obras, Israel Pinheiro se levantava às 6 horas e trabalhava até as 20 horas. Se não estava no seu escritório na Novacap (então na Candangolândia), era visto numa Rural Willys fiscalizando as obras.
    Israel Pinheiro – o homem que dirigiu a construção de Brasília - De 3 a 14 de outubro - Das 8 às 18 horas - Na Galeria dos Presidentes da Novacap — Setor de Áreas Públicas, Lote B


    Galeria de Fotos:goo.gl/Qu3Gwp ) 









    Agência Brasília

    #Terracap apresenta o parque tecnológico do DF - - (O #BioTIC é o primeiro grande empreendimento do setor de tecnologia da informação da região. O local deve abrigar mais de mil empresas.)


    O #BioTIC é o primeiro grande empreendimento do setor de tecnologia da informação da região. O local deve abrigar mais de mil empresas. Na oportunidade, a empresa também assina um termo de cooperação geral com a Embrapa para o desenvolvimento do Parque Tecnológico

    A Agência de Desenvolvimento do Distrito Federal (Terracap) vai apresentar, na próxima segunda-feira, 3 de outubro, no Congresso Mundial de Tecnologia da Informação (WCIT), o primeiro parque tecnológico com foco na inovação em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) do Distrito Federal, o BioTIC. O Parque Tecnológico fica próximo à Granja do Torto, tem capacidade para abrigar aproximadamente 1.200 empresas e potencial para geração de mais de 25.000 empregos diretos. O lançamento ocorrerá no lounge 1 no Centro de Convenções Internacional do Brasil (CICB).

    O BioTIC foi elaborado pela Terracap, em parceria com a Federação das Indústrias do Distrito Federal – FIBRA, e com a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação, e é considerado estratégico para o Governo de Brasília. O projeto representa uma mudança na matriz de desenvolvimento econômico do DF, consolidando a sua vocação econômica em áreas de tecnologia de ponta. No evento, será apresentado a nova modelagem de negócio para o empreendimento.

    Por meio da criação do BioTIC, será possível aumentar a cooperação e geração de negócios entre empresas, e centros de pesquisas. Com as inovações, setores como biotecnologia, nanotecnologia, saúde, cosméticos, energia, agricultura e segurança também serão desenvolvidos.

    O  Ranking Connected Smart Cities 2016, elaborado pela Urban Systems, apresenta as cidades mais inteligentes do Brasil. O estudo analisa 11 setores das cidades a partir de 73 indicadores. Os 11 eixos setoriais são: Mobilidade, Urbanismo, Tecnologia e Inovação, Empreendedorismo, Governança, Educação, Energia, Meio Ambiente, Saúde, Segurança e Economia.

    Atualmente, Brasília ocupa a 4ª posição no ranking. No entanto, apenas nos Eixos Mobilidade, Tecnologia e Inovação, Empreendedorismo e Economia, a capital federal aparece entre os 10 primeiros. O resultado demonstra a necessidade de investimentos em Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC), aderentes a gestão urbana de Brasília e a seu Governo Eletrônico.

    Tornar Brasília uma referência em termos de cidade sustentável pressupõe um modelo de desenvolvimento sustentável que esteja atrelado aos avanços na Biotecnologia e na Bioeconomia.

    E um empreendimento que pode fazer com que a região suba no ranking é o Parque Tecnológico, que ocupa uma área de 123 hectares (1.230.000 m2) e possui todas as licenças ambientais para o seu funcionamento, o que garante os padrões de sustentabilidade do empreendimento.

    O BioTIC também possui toda a infraestrutura de engenharia necessária para o seu pleno funcionamento. As obras de pavimentação, drenagem, sistemas de abastecimento de água e de coleta e tratamento de esgotos e fornecimento de energia estão concluídas.

    Por meio da criação do parque tecnológico, será possível aumentar a cooperação e geração de negócios entre empresas, universidades e centros de pesquisa. Com as inovações, setores como biotecnologia, nanotecnologia, saúde, cosméticos, energia, agricultura e segurança também serão desenvolvidos.

    Cooperação com a Embrapa – No evento de lançamento do Parque Tecnológico, a Terracap assina um termo de cooperação geral com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). Além de viabilizar a participação da Embrapa no Parque Tecnológico, o termo tem o objetivo de ampliar o escopo atual do empreendimento, para inserir a interação da tecnologia da informação e comunicação com as áreas de agricultura tropical, medicina tropical e biotecnologia.

    A parceria também visa contribuir para a revisão do modelo de governança e do modelo de negócios aplicáveis ao Parque e gerar conhecimentos e informações técnico-científicas, a fim de estruturar e desenvolver o ambiente de negócios.

    Sobre o WCIT – O 20º Congresso Internacional de Tecnologia da Informação ocorrerá de 3 a 5 de outubro, no Centro de Convenções Internacional do Brasil (CICB). O evento ocorre pela primeira vez na América do Sul. De acordo com a organização do evento, a expectativa é receber cerca de três mil pessoas, de mais de 80 países.

    Serviço - O que: Lançamento do Parque Tecnológico do DF (BioTIC) e assinatura do Termo de Cooperação Geral entre a Terracap e a Embrapa, no WCIT- Quando: 3 de outubro, às 16h- Onde: Centro de Convenções Internacional do Brasil (CICB), no lounge 1, da Terracap.





    Três perguntas para... João Antônio Fleury, secretário de Fazenda do DF - " Governo alerta para risco de atraso salarial"

    Com mais um avanço sobre  limite prudencial de gastos com pessoal, como fica o reajuste concedido às 2 categorias de servidores?
    Estamos trabalhando para cumprir os acordos que foram feitos. Teremos oportunidade de nos reunir com todos os sindicatos no sentido de mostrar as dificuldades que o governo está enfrentando e a realidade que estamos vivendo, que é a realidade do Brasil, apesar de, aqui em Brasília, ter uma média de arrecadação superior à média das outras unidades da Federação em termos de crescimento. Os compromissos passados que ficaram pendentes, porém, nos levaram a ter uma série de dificuldades que enfrentamos neste ano para pagar esses passivos.

    Caso o governo decida pagar os reajustes a qualquer custo, quais serão os riscos?
    É o seguinte: você tem de administrar esse fluxo. Temos uma série de obrigações. A folha de pagamento é apenas uma delas. Temos todas as despesas das áreas da saúde, da educação, os contratos que o GDF tem. Se, por ventura, o reajuste for dado e tivermos alguma dificuldade, vamos ter de ajustar esse fluxo.

    O reajuste está ameaçado?
    Não. O governo tentará cumprir seus compromissos. Vamos apenas mostrar as consequências se, por ventura, a gente não conseguir cobrir o deficit do caixa que temos até o fim do ano. A consequência é, se não conseguir cobrir esse deficit, que hoje é de R$ 800 milhões, você não ter como pagar a folha no quinto dia útil. Teremos de negociar com os sindicatos. Não estamos trabalhando com a perspectiva de parcelamento de salários hoje, mas vai depender do que acontecerá daqui até o fim do ano.
    Protesto de servidores da educação na Praça do Buriti: no total, 32 categorias cobram do governo compromisso de reajuste salarial assumido no ano passado

    Caso o Executivo local conceda reajustes a 32 categorias no próximo mês sem aumentar a arrecadação, uma das consequências será o pagamento dos vencimentos apenas depois do quinto dia útil. Também estuda-se aumento no IPTU

    Se o governo pagar o reajuste de 32 categorias em outubro, como prometido desde o ano passado, o salário dos servidores públicos do Distrito Federal pode atrasar. O alerta foi feito ontem pelo secretário de Fazenda do DF, João Antônio Fleury. Ele explicou que o GDF tem um deficit de R$ 890 milhões para fechar as contas até dezembro. Com o pagamento dos aumentos salariais, esse rombo alcançaria R$ 1 bilhão. Uma das possibilidades em debate no Executivo local é a proposta de revisão da tabela de valores venais dos imóveis, usada para o cálculo do Imposto sobre a Propriedade Territorial (IPTU). Se a base for atualizada a partir dos preços de mercado, a cobrança deve aumentar muito.

    João Antônio explicou que as equipes técnicas do Buriti terão reuniões com lideranças sindicais para detalhar a situação. Uma das possibilidades é atrasar salários. “Vamos apenas mostrar as consequências se, porventura, a gente não conseguir cobrir o deficit do caixa que temos até o fim do ano. A consequência é, se não conseguir cobrir esse deficit, não teremos como pagar a folha no quinto dia útil”, explicou.

    Ele adiantou, também, as medidas que o GDF adotará para tentar reduzir o rombo nas contas públicas. Uma das saídas é um projeto de refinanciamento de dívidas dos contribuintes, que, segundo ele, pode render cerca de R$ 200 milhões. A securitização do débito do governo local também será retomado, com possibilidade de arrecadar até R$ 300 milhões. “Acabamos de aprovar um Refis, na semana passada, e o prazo previsto é até 31 de outubro, justamente para que a gente consiga um valor que melhore esse fluxo. Não estamos atrelando a concessão à arrecadação, mas aprovamos para auxiliar na melhoria do caixa”, explicou o secretário de Fazenda.

    O presidente do Sindicato dos Servidores da Administração Direta, Fundacional, das Autarquias e Empresas Públicas (Sindser), André Luiz da Conceição, classificou as declarações do secretário de Fazenda como “chantagem”. Para ele, o governo tem de cumprir a promessa assumida no ano passado. “Oficialmente, o governador não apresentou nada aos sindicatos, mas ele precisa dialogar com as entidades, porque foi ele quem assumiu esse compromisso há mais de um ano”, comenta. “A declaração do secretário é péssima e só tensiona ainda mais o ambiente. Não vamos aceitar ameaças e, a partir de meados de outubro, estaremos em mobilização constante”, comentou.

    Com mais de 40 mil servidores, o Sindicato dos Servidores Públicos Civis da Administração Direta, Autarquias, Fundações e Tribunal de Contas do DF (Sindireta) é categórico: não há como dar mais prazo ao governo e, na ausência do compromisso, quanto aos reajustes, o jeito será retomar as greves. “Se existe um acordo, deve ser cumprido. Esse é o princípio. Demos o prazo para não dizer que estávamos sendo intempestivos, mas o servidor está sendo muito paciente. Não venha querer que o servidor pague essa conta”, argumentou o presidente da entidade, IbraimYoussef. “Se tem dificuldade, que vá atrás de crédito e honre com os servidores. Se não, o jeito será a paralisação”, ameaçou.

    Imóveis
    Com um rombo nas contas públicas de R$ 890 milhões, podendo chegar a R$ 1 bilhão, o Executivo local estuda algumas opções para tentar aumentar a receita, cobrir o vermelho e conceder, sem consequências graves, os reajustes. Uma das possibilidades para equilibrar o caixa é rever o IPTU. O GDF discutirá na Câmara Legislativa a possibilidade de corrigir o valor venal dos imóveis. A tabela está defasada desde 2008, com ajustes na inflação.

    O cálculo do imposto leva em consideração o padrão da edificação, a área construída, a destinação de uso, os parâmetros de valorização, como a quadra e a posição do imóvel, além dos serviços públicos ofertados. Para calcular o valor venal, a Secretaria de Fazenda se baseia no preço de mercado. A partir desse valor, o governo aplica alíquota de 0,3% para imóveis residenciais; de 1% para imóveis não residenciais, como os destinados a comércio; e de 3% para terrenos vazios.

    Apesar de o Executivo local não admitir aumento real do tributo, a população deve se preparar para novos valores, que podem até dobrar a partir da aprovação do projeto de correção do valor venal. “Temos o IPTU mais barato do Brasil. O que faremos é enviar para a Câmara a correção do valor”, indicou Fleury. Na prática, segundo ele, será complementar o valor de um imóvel que custa R$ 100 mil, mas vale R$ 150.

    O motivo de tudo isso é o gasto do governo com o quadro de pessoal. Segundo o balanço da gestão fiscal referente ao segundo quadrimestre de 2016, apresentado também na tarde de ontem, o percentual dos gastos com a folha de pagamento em relação à receita corrente líquida subiu de 47,08% para 47,49%. O GDF continua acima do limite prudencial estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Se o GDF não reduzir o percentual de gastos para abaixo do patamar de 46,55%, o Executivo fica proibido de criar cargos, fazer concursos e conceder reajustes.

    ENTENDA O CASO »Rombo nas contas
    Os reajustes salariais, que variam entre 3% e 5%, foram concedidos durante a gestão anterior. A Câmara Legislativa aprovou sem dificuldade os 32 projetos de lei que foram sancionados e entraram em vigor. A concessão dos aumentos ocorreu de forma escalonada, e os benefícios começaram a ser pagos em 2013. A parte mais significativa seria paga em setembro do ano passado. Ao assumir o Executivo, no ano passado, Rodrigo Rollemberg (PSB) alegou que, devido ao rombo nas contas brasilienses e por estar no limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal, a quitação do débito seria inviável e negociou com as 32 categorias incluídas no pacote um novo prazo, firmado para a folha de pagamento de outubro deste ano. A falta de dinheiro para arcar com o compromisso foi, inclusive, questionada na Justiça. No entanto, em maio do ano passado, o Conselho Especial do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios autorizou o aumento. Foram 17 votos a favor da manutenção dos reajustes — todos os desembargadores presentes na sessão rejeitaram a ação que questionava a legalidade da medida. O impacto para este ano na folha de pagamento é de R$ 1,7 bilhão.


    Fonte: Helena Mader – Camila Costa – Foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A.Press – Ed Alves/CB/D.A.Press – Correio Braziliense

    JUSTIÇA » Julgamento contra Agnelo e Filippelli sem definição - (Desembargador pede vistas ...)

    Desembargador pede vistas e julgamento contra Agnelo e Filippelli volta a ser adiado

    Em sessão realizada ontem à noite no Tribunal Regional Eleitoral do Distrito Federal (TRE-DF), o destino político do ex-governador Agnelo Queiroz e do ex-vice Tadeu Filippelli permaneceu indefinido.  Dois desembargadores acompanharam o voto da relatora Carmelita Brasil e condenaram os dois à pena de inelegibilidade por oito anos — a contar das eleições de 2014 — e pagamento de multa. Já os desembargadores André Macedo e Everardo Ribeiro acompanharam parcialmente o voto da magistrada — aceitaram apenas a punição financeira. A decisão final seria de Carlos Divino. Ele, porém, pediu vistas dos autos. Carlos André Duda também é réu na ação.

    O advogado Paulo Guimarães, representante do ex-governador Agnelo Queiroz, considerou a decisão do adiamento positiva. “O pedido de vistas sempre proporciona uma melhor análise por parte do juiz. Creio que o desembargador Carlos Divino sabe que o importante debate do dia de hoje (ontem) precisava ser aprofundado para melhor análise e caracterização do voto”, argumentou.  Essa é a segunda vez que o andamento é paralisado. Na sessão de 25 de agosto, o desembargador André Macedo pediu vistas do processo e os demais magistrados preferiram esperar o retorno dos autos para proferirem os votos.

    O processo analisado na noite de ontem pelo TRE foi aberto em 2014, a partir de uma representação formulada pela coligação Somos todos Brasília, encabeçada por Rodrigo Rollemberg. O então candidato ao governo pelo PSB alegou que Agnelo e Filippelli promoveram publicidade institucional de serviços não essenciais no site GDF e na página oficial do governo no Facebook. De acordo com a alegação da coligação de Rollemberg, havia um aviso no site oficial de que o espaço ficaria indisponível até 6 de outubro de 2014, mas com a ressalva de que todas as notícias referentes a serviços do GDF seriam publicadas no site Agência Brasília, inclusive com link direto para essa página.

    “Além da promoção de publicidade irregular no referido site, os representados divulgam ações do governo no Facebook e insistem em divulgar notícias das realizações da gestão”, alegou a coligação de Rollemberg na representação. O grupo também pediu a concessão de liminar para a retirada imediata de todas as notícias que veicularam propaganda institucional — o que em setembro de 2014 foi concedido pelo juiz eleitoral James Eduardo Oliveira. “Levando em consideração que o atual governador do Distrito Federal é candidato à reeleição, a divulgação de realizações e atos dos órgãos públicos distritais, em princípio, configura publicidade institucional, que não é permitida nos três meses que antecedem o pleito”, argumentou à época o juiz, ao conceder a liminar para retirada das publicações do site.

    Isonomia eleitoral
    A legislação permite a veiculação de publicidade institucional estritamente informativa e de cunho emergencial, mas proíbe divulgações de atos, programas, obras, serviços e campanhas de órgãos públicos que possam favorecer, direta ou indiretamente, algum candidato. A Justiça Eleitoral entende que a veiculação de publicidade institucional compromete a isonomia do processo eleitoral.

    Em janeiro deste ano, o Tribunal Regional Eleitoral considerou Agnelo e Filippelli inelegíveis por um prazo de oito anos. Por unanimidade, a Corte entendeu que houve irregularidades na publicidade institucional do governo no primeiro semestre de 2014. A dupla, que disputava a reeleição, teria usado a propaganda oficial do GDF para se promover. O ex-governador e seu vice recorreram ao Tribunal Superior Eleitoral. A ação de investigação judicial eleitoral havia sido proposta pela coligação encabeçada por Jofran Frejat, que disputou as eleições pelo PR. O TRE entendeu que houve abuso na quantidade de publicidade institucional veiculada nos meses anteriores às eleições. Não houve questionamentos quanto ao gasto com propaganda, que foi considerado dentro dos limites legais.



    Fonte: Alessandra Modzeleski - Especial para o Correio Braziliense – Foto: Elio Rizzo-Esp.CB/D.A.Press 

    quinta-feira, 29 de setembro de 2016

    "Minha Ponte" será pra sempre ... a, Ponte do Oscar ....


    Por: Conceição Freitas 

    Das quatro pontes que flutuam sobre o Lago Paranoá, a mais bela não é a Ponte JK. É a ponte do Niemeyer que mudou de nome, passou de Costa e Silva para Honestino Guimarães. Bem podia ter recebido o nome do Oscar, o autor do projeto da ponte mais linda de Brasília.

    A ponte do Oscar reverencia as escalas do Plano Piloto. Dá rasantes sobre o lago, como uma gaivota procurando peixinhos no espelho d’água. Duas gaivotas, lado a lado, nos conduzem de um lado a outro da cidade. Ao contrário da outra, a ponte do Oscar não pretende atrair para si a atenção dos convidados.


    O urbanismo de Lucio e a arquitetura de Oscar, margeados pela placidez paradisíaca do lago, são os personagens principais do teatro épico de linguagem moderna que se desdobra dentro de um anel de chapadas.

    Duas das pontes de Brasília são tão somente pinguelas de concreto, a Ponte das Garças e a Ponte do Bragueto, as duas sem nenhum requinte de obra de arte. Em engenharia, as pontes são chamadas de obras de arte, porque, originalmente, designavam construções desenvolvidas por artífices da engenharia para superar obstáculos — um lago é um obstáculo a uma estrada.


    A Ponte do Oscar trisca o lago duas vezes antes de chegar às duas pontas opostas. De longe, lembra duas garças de asas abertas aterrissando levemente sobre o espelho d’água. Com a ponte, Niemeyer “buscou traduzir as formas características da arquitetura monumental brasiliense, empregando uma estrutura formada por três arcos com grandes vãos”. O arquiteto deu ao projeto o nome de “Ponte Monumental”. Impôs-se um desafio: “Vencer um vão recorde de 200 metros sobre o lago, numa extensão total de 400!”, escrevem Sylvia Ficher e Andrey Schlee em Brasília 50 Anos, guia de obras do arquiteto.


    A ponte do Oscar é a única ponte do arquiteto que foi construída. Há uma outra, projetada para Veneza, feita como exercício estético para a mostra As Venezas possíveis: de Palladio a Le Corbusier, em 1985. É branca como a de Brasília, “leve e graciosa, como o concreto permite”. É uma estrutura inteiriça, como uma ponte-casa-calçada-passarela com janelões abertos para a paisagem urbana, “convidando os visitantes a parar um pouco e, sobre o canal, sentirem melhor como é bela essa cidade”.


    Vista sozinha, sem a interferência arrogante da Ponte JK, a Ponte do Oscar é de uma delicadeza comovente. Os raios de Sol reluzem no branco da estrutura lateral da ponte — evidenciando o efeito imaginado pelo arquiteto: “Como uma andorinha tocando na água...”.


    Projetada nos anos 1960 e construída nos anos 1970, a Ponte do Oscar é um exemplo de como é possível ser genial sem ser insolente. E de como é possível participar de um casamento sem querer roubar a atenção da noiva.


    (*) Conceição Freitas – Jornalista - Repórter,  amante de Brasília-DF

    Posto do DFTrans em Taguatinga muda de endereço

                                          Terminal Rodoviário abrigará nova estrutura

    O posto do Sistema de Bilhetagem Automática do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) mudará de endereço. O local onde são feitos os atendimentos atualmente, no Setor Hoteleiro da região, será desativado na segunda-feira (3). A nova unidade fica no Terminal Rodoviário de Taguatinga Norte e já atende experimentalmente a partir desta quinta-feira (29).

    Mesmo com a nova estrutura já funcionando, parte dos funcionários continuará atendendo no Setor Hoteleiro, até esta sexta-feira (30). Na segunda-feira (3/10), já não haverá mais atendimento no local. Tanto o espaço atual quanto o que começa a operar agora são do governo e não exigem gastos com aluguel.

    Segundo o diretor-geral do DFTrans, Léo Carlos Cruz, o espaço agora substituído era provisório e estava em uso há cinco meses, desde que o contrato de aluguel com o antigo local terminou. “Tanto os usuários como os funcionários serão beneficiados. A estrutura é mais ampla e confortável”, explica.

    O novo posto, no Terminal Rodoviário de Taguatinga Norte, fica entre o Estádio Elmo Serejo Farias e o centro administrativo do governo de Brasília. O local, de acordo com Cruz, é mais acessível, já que fica próximo a uma estação de metrô. O funcionamento é das 8 às 18 horas, de segunda a quinta-feira, e das 8 às 17 horas, na sexta-feira.






    Ascom/DFTrans 
    Marcelo Moura
    Daniel Dutra 
    Viviane Nunes

    Futuro Campeão revela promessas da natação brasiliense

       ​Foto: Lula Lopes/ Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer

    Alunos participam de competições nacionais da modalidade e treinam no Centro Olímpico e Paralímpico de Samambaia.

    Brasília, 29 de setembro de 2016 - Mesmo sem garantir pódio para o Brasil nos Jogos Olímpicos Rio 2016, a natação continua atraindo interessados, sendo uma das modalidades mais procuradas nos 11 Centros Olímpicos e Paralímpicos do Distrito Federal. Entre os alunos, dois adolescentes estão se destacando em disputas regionais e começam a representar Brasília em torneios nacionais.

    Bruno Medeiros de Oliveira, de 13 anos, lidera o Festival de Escolas de Natação do Distrito Federal (FEN), torneio que envolve seis etapas. Para confirmar o primeiro lugar da competição, ele precisa vencer mais duas fases, mas com o seu desempenho atual já garantiu índice para participar do Campeonato Brasileiro de Natação, em dezembro, em Aracaju (SE).

    O brasiliense compete no infantil nas categorias 50 metros peito, 100 metros peito e 50 metros livre. "Vou para essas próximas competições mais por experiência, para ver como funciona. Estou um pouco nervoso por ser a primeira vez. Mas quero tentar, pelo menos, ficar entre os primeiros colocados", idealiza o brasiliense.

    Nadando desde os seis anos, Bruno decidiu investir na carreira de atleta apenas há três anos, quando fez o teste para entrar no Futuro Campeão, programa para alunos de rendimento das unidades esportivas. Com o resultado positivo, ele começou a se dedicar ao esporte. Antes, dividia o tempo entre a natação e o atletismo.

    A rotina do brasiliense assemelha-se ao cotidiano de atletas de alto rendimento. Ele começa a treinar na piscina do Centro Olímpico e Paralímpico de Samambaia logo de manhã cedo e interrompe a atividade apenas na hora do almoço para ir ao colégio. Quando volta para casa, no início da noite, estuda e faz deveres pendentes.

    A mãe do rapaz, a dona de casa Creuza Rezende, de 47 anos, percebeu na personalidade ativa do filho, que tinha o costume de dormir de madrugada e brincar em sala de aula, uma chance de incentivá-lo à prática de atividades físicas. "O esporte trouxe isso para ele, a disciplina que leva hoje para a vida. Melhorou bastante", avalia.

    Em casa, o rapaz acompanhou pela televisão os Jogos Olímpicos 2016, especialmente as provas aquáticas. Assim com todos que gostam da modalidade, Bruno torceu especificamente por certo atleta americano, que se despediu profissionalmente da água, nas piscinas do Rio de Janeiro. "O Michael Phelps é incrível, uma inspiração de dedicação ao esporte", completa.

    Outra promessa da natação brasiliense é Vanessa Oliveira Rodrigues Rocha, de 16 anos, que alcançou o índice para participar do Campeonato Brasileiro de Natação, ainda no passado. A adolescente disputa provas no juvenil nas categorias 50 metros livre; 100 metros livres e 200 metros medley. Ela foi convocada para integrar a seleção de natação de Brasília.

    Incentivada pela mãe, a diarista Juliana Imaculada de Oliveira, 40 anos, a jovem começou a fazer natação. Antes, ela já praticava handebol e futebol no Riacho Fundo I, local em que reside. Há quase três anos, ela passou na seletiva do Futuro Campeão, intensificando assim a rotina de treinos na unidade de Samambaia.

    "A gente se programa direitinho, já que precisamos sair cedo do Riacho para ela vir treinar aqui todos os dias da semana. Mas estou bem feliz com a dedicação dela no esporte. Quando dá, sempre estou acompanhando minha filha nos treinos e competições", destaca Juliana, que geralmente espera na arquibancada, enquanto Vanessa pratica o esporte.

    Saiba mais – Futuro Campeão
    Com início em 2012, o projeto tem o enfoque no esporte de rendimento. O trabalho com a natação deu partida a partir de 2013 e já começou a colher as vitórias do trabalho desenvolvido todos os dias da semana nas piscinas do Centro Olímpico e Paralímpico de Samambaia, com a participação de atletas do projeto nas principais competições regionais.

    "A filosofia dos centros olímpicos e paralímpicos sempre foi a inclusão social, mas óbvio que nesse mar de jovens, a gente sabe que um ou outro vai se destacar em determinada modalidade. A ideia do Futuro Campeão é justamente essa: dentro desse universo onde poucos terão aquela aptidão, de fato, para o esporte, levar eles para o projeto e, aos poucos, lapidar essa pedra bruta. É uma forma de fazer um pequeno núcleo de excelência no mar de inclusão", explica a secretária de Esporte, Turismo e Lazer, Leila Barros.

    Os resultados podem ser avaliados a partir do desempenho dos alunos do Futuro Campeão no Festival de Escolas de Natação. Em 2014, primeiro ano de participação na competição, os alunos conseguiram a terceira colocação. No ano seguinte, a turma subiu para o segundo lugar. Neste ano, faltando apenas mais duas etapas para terminar o torneio, os alunos do Futuro Campeão seguem em primeiro.

    O especialista em natação, responsável pelo projeto Futuro Campeão nesta modalidade, Aguinaldo Amorim, 54 anos, comemora os bons resultados de 2016, que possibilitará levar quatro alunos para participar do Brasileiro da natação, entre eles, Bruno e Vanessa. "Esse campeonato reúne a nata da natação brasileira. Dali que saem os atletas que representarão o Brasil em Pan-Americano, mundiais e, claro, Olimpíadas. Nosso objetivo é ficar entre os 30 primeiros. Quando estivermos entre os dez primeiros posso dizer que estaremos entrando no alto rendimento", explica.

    Unidade de Samambaia
    Essa é a unidade mais antiga, sendo inaugurada em 16 de outubro de 2009. Serviu de modelo para a construção dos demais espaços esportivos. O local atende 5,3 mil pessoas em 20 modalidades, aproximadamente, além dos esportes adaptados para pessoas com deficiência. A idade dos alunos varia de quatro a 96 anos.

    "Primeira semana de cada mês, nós abrimos inscrições para as modalidades com vagas sobrando. Existe uma procura diária muito grande. No último mês, disponibilizamos 500 vagas e todas foram preenchidas. Além disso, nós recebemos alunos de escola integral para praticar atividades diversas e abrimos aos fins de semana para o espaço de convivência", detalha o diretor da unidade, João Eustáquio Santos.

    A gestão do Centro Olímpico e Paralímpico de Samambaia é da Secretaria de Esporte, Turismo e Lazer em parceria com a Fundação Assis Chateaubriand.

    Centro Olímpico e Paralímpico de SamambaiaQS 119, Área Especial 1, Centro Urbano, Samambaia Sul; (61) 3359-7165-  - De terça a sexta-feira, das 8 às 12 horas; e das 14 às 18 horas.Sábados e domingos, das 9 às 16 horas -  (Espaço de convivência, para lazer e sem uso das piscinas).





    SÍRIO-LIBANÊS INAUGURA SUA PRIMEIRA UNIDADE DIAGNÓSTICA EM BRASÍLIA

    Instituição amplia presença na Capital Federal, com o oferecimento de exames laboratoriais e de imagem

    Após cinco anos de atuação em Brasília, com duas unidades destinadas às áreas de oncologia clínica e radioterapia, o Hospital Sírio-Libanês expande sua atuação na capital federal, agora na área diagnóstica. No dia 30 de setembro, a instituição inaugura oficialmente o Centro de Diagnósticos – Unidade Brasília, localizado na L2 SUL.
    Com estrutura ampla, equipe especializada e os equipamentos mais avançados do País, a nova unidade tem capacidade para atender aproximadamente 6 mil pacientes por mês – ou cerca de 40 mil exames por mês – e conta com o que há de mais moderno em tecnologia diagnóstica. Oferece desde exames laboratoriais até serviços como PET/CT, tomossíntese (mamografia 3D), ressonância magnética, biópsias e tratamentos guiados por imagem, que podem ser realizados em regime ambulatorial, sem necessidade de internação.  

    O Centro de Diagnósticos ocupa uma área de 1.250 m², em um único pavimento térreo, o que permite maior mobilidade e acessibilidade aos pacientes. “Conseguimos unir a melhor tecnologia disponível a uma equipe médica altamente qualificada e especializada. Na área de ressonância, por exemplo, contamos com um equipamento que proporciona exames mais rápidos e de qualidade de imagem superior, o que torna o diagnóstico mais preciso”, explica o coordenador médico da unidade, Dr. Edgar Franco Neto.

    Outro destaque da unidade é o PET/CT, que permite avaliar alterações metabólicas do organismo, essencial, por exemplo, para detecção precoce de tumores e doenças neurológicas.

    A área de emissão e armazenamento de laudos e resultados, por sua vez, utiliza uma solução de última geração que permite, tanto aos pacientes como aos médicos, acesso aos dados pela Internet, inclusive via aplicativo de celular. A plataforma online mostra, com alta qualidade, todos os laudos e exames armazenados, inclusive imagens de tomografia e ressonância. Os médicos podem utilizar a plataforma para solicitação de segundas opiniões e discussões multidisciplinares. Achados críticos poderão ser comunicados imediatamente, via SMS ou e-mail, ao profissional solicitante.

    “Consolidamos nossos serviços em Brasília nos últimos cinco anos, em um trabalho realizado em parceria com os profissionais e a comunidade local. Nosso objetivo é continuar contribuindo para o desenvolvimento da saúde no Distrito Federal, como forma de retribuir a excelente receptividade que sempre tivemos”, afirma o CEO do Hospital Sírio-Libanês, Paulo Chapchap.

    Histórico da atuação em Brasília
    Em 2016, Brasília foi um dos grandes focos de investimento do Hospital Sírio-Libanês. Neste ano, os investimentos locais realizados pela instituição somam R$ 40 milhões, se forem considerados a nova unidade diagnóstica (R$ 25 milhões) e a ampliação do serviço de radioterapia, com a instalação do acelerador linear TrueBeam STX, inaugurado em junho (R$ 15 milhões). As duas unidades oncológicas e o Centro de Diagnósticos, inaugurado agora, somam mais de 200 empregos diretos, entre médicos, enfermeiros, técnicos, pessoal administrativo e apoio.

    Brasília continua sendo a única cidade a receber uma operação do Hospital Sírio-Libanês fora de São Paulo. A instituição inaugurou seu primeiro Centro de Oncologia, em 2011, na L2 Sul, oferecendo consultas médicas, sessões de quimioterapia e aplicações de medicamentos não-quimioterápicos. Em agosto de 2013, os atendimentos foram ampliados, com o início dos serviços de radioterapia.

    Em novembro de 2014, o Centro de Oncologia do Hospital Sírio-Libanês – Unidade Brasília, atingiu sua capacidade máxima de funcionamento. Com a receptividade da população e as parcerias com os profissionais locais, a atuação na capital federal cresceu e levou à abertura de uma segunda unidade localizada no Lago Sul e da ampliação do serviço de radioterapia em 2016.

    Em cinco anos, as duas unidades oncológicas juntas foram responsáveis por mais de 76 mil atendimentos, dos quais 21.163 consultas e 1.130 tratamentos de radioterapia.

    Saúde Pública
    Trazendo para Brasília o seu comprometimento com a saúde pública, uma das marcas de sua atuação, o Hospital Sírio-Libanês tem desenvolvido uma série de outras ações em benefício da população do Distrito Federal. Desde setembro de 2014, 25 pacientes encaminhados pelo Hospital da Criança de Brasília José de Alencar receberam tratamento radioterápico na unidade da L2 Sul, a partir de uma parceria firmada entre as duas instituições.

    Em outro acordo estabelecido com o Governo do Distrito Federal, 100 pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) que necessitavam de radioterapia foram atendidos de forma totalmente gratuita na mesma unidade. A triagem foi feita pela Central de Regulação de Internação da Secretaria de Saúde, a partir de critérios técnicos.

    Até 2017, outros 100 pacientes serão atendidos da mesma forma, por meio de recursos do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi-SUS), mantido em parceria com o Ministério da Saúde.

    Centro de Diagnósticos – Unidade Brasília

    Localização:
    L2 SUL

    Telefone / Agendamentos:

    (61) 3044.8888
    Investimento:

    R$ 25 milhões
    Área construída:

    1.250 metros quadrados
    Capacidade (mensal):
    ·         6 mil pacientes
    ·         40 mil exames

    Principais Serviços:
    Exames Laboratoriais

    Imagem
    ·         Análises clínicas de rotina
    ·         Mamografia/Tomossíntese
    ·         Ressonância
    ·         PET/CT
    ·         Tomografia Computadorizada
    ·         Ultrassonografia
    ·         Raio X
    ·         Densitometria Óssea

    Equipe
    Total (projeção final): 75 colaboradores
    ·         Assistenciais: 50 (sendo 8 médicos)
    ·         Apoio: 25



    Centro de Oncologia – Unidade Brasília

    Estrutura de atendimento

    ·         Unidade Asa Sul
    Inaugurada em 2011
    Edifício exclusivo com 2,4 mil m2
    6 consultórios, 12 suítes para aplicação de QT e serviço de radioterapia
    Radioterapia: inauguração em 2013 e ampliação em 2016
    ·         Unidade Lago Sul
    Inaugurada em 2014
    Ocupa três pavimentos de edifício localizado em frente ao Hospital de Brasília, com 1,7 mil metros quadrados
    Oito consultórios e 17 boxes para quimioterapia

    Capacidade de atendimento
    (considerando as duas unidades)
    ·         10.280 atendimentos / mês:
    4.800 consultas / mês
    1.500 aplicações de quimioterapia /mês
    1.580 aplicações de radioterapia /mês
    Procedimentos não quimioterápicos: 2.400 /mês

    Inovações
    ·         Aceleradores Lineares de última geração instalados na Unidade da Asa Sul - equipamentos que corrigem milimetricamente a posição do paciente possibilitando que a radiação atinja o tumor com maior precisão e maiores doses

    Diferenciais
    ·         Equipe Multidisciplinar, com serviços integrados de enfermagem, farmácia, psicologia, odontologia e nutrição focados no atendimento do paciente oncológico
    ·         Enfermagem especializada
    ·         Serviço de Aconselhamento Genético
    ·         Serviço de Cuidados Paliativos


    Equipe
    (considerando as duas unidades)

    Total: 144 colaboradores
    ·         Assistenciais: 89 (sendo 15 médicos)
    ·         Apoio: 55








    Fonte: Camila Muguruza - Destak Comunicação

    imagem-logo
    © Blog do CHIQUINHO DORNAS 2012/2016 Todos os direitos reservados.